CONSULTA IRPF 2019 →【LOTES DA RESTITUIÇÃO】

Por isso, esses usuários estão atentos às notícias e divulgações das datas de devolução e da apresentação dos lotes de pagamento. Auxiliando nessa espera, é possível que você faça a consulta IRPF 2019.

Se você está entre os critérios da Receita, faça a declaração do seu Imposto de Renda. É indicado que não perca o prazo para o envio da declaração, pois isso resulta em multa.

Confira através desse artigo todos procedimentos para realizar sua consulta do IPRF 2019 e verificar se sua restituição foi paga com sucesso. Veja Agora!

IRPF 2019

O Imposto de Renda é o tributo cobrado sobre a renda do indivíduo ou da empresa. A arrecadação desses valores é destinada ao custeio das necessidades do governo, como saúde, segurança, educação, entre outros. Todos os contribuintes que se enquadram nos parâmetros propostos pela Receita Federal, devem fazer o pagamento do Imposto de Renda.

CONSULTA IRPF 2019

As consultas não preveem a data do pagamento, caso ele não tenha sido disponibilizado no mês vigente. Por isso é importante o contribuinte estar atento à divulgação das restituições e sempre fazer a Consulta IRPF, para saber sobre o andamento de seu pagamento.

Consulta IRPF 2019

O contribuinte pode fazer a Consulta da Restituição do Imposto de Renda de duas formas. A primeira é entrando em contato via fone, através do número 146. Para isso, é preciso estar com o número do CPF em mãos e informar ao atendente.

Ele informará se o pagamento relacionado ao número do CPF foi disponibilizado no lote atual e, no caso de ter sido, em qual conta (que deverá ter sido previamente informada na Declaração do Imposto de Renda) o valor foi creditado.

Também é possível fazer a consulta IRPF 2019 através do site da Receita Federal, seguindo o passo a passo abaixo:

CONSULTA IRPF 2019

  • Entrar no site da Receita www.receita.fazenda.gov.br;
  • Informar CPF;
  • Ano em que a declaração de imposto de renda foi realizada;
  • A sua data de nascimento;
  • O código informado na imagem.
  • Clicar em Consultar.

Restituição IRPF 2019

A Restituição do Imposto de Renda segue uma série de regras que são consideradas antes de ser feita a devolução do pagamento ao contribuinte. A primeira delas, é sempre conferir se houve um recolhimento mensal de Imposto de Renda retido na fonte pagadora.

Caso haja, o contribuinte poderá ter parte do valor restituído, considerando que o saldo final pago, pode ser maior que o calculado pela Receita Federal.

O contribuinte pode ter pago imposto a mais do que o devido, considerando seus ganhos anuais. Por isso, a Receita Federal propõe a restituição IRPF, considerando o pagamento extra que foi feito.  Além desse caso, que é o mais comum, outros casos podem gerar a restituição. São os que tem pagamentos à serem deduzidos da declaração.

Pessoas que fazem o pagamento de pensão alimentícia, decidido judicialmente, pode ter esse valor deduzido no imposto a ser pago, podendo não ser restituído.

Esse valor serve para diminuir a cifra final do pagamento, tornando o valor do Imposto de Renda menor. Só são restituídos esses valores, no caso de os rendimentos em pensão alimentícia ultrapassarem em R$ 10 mil os valores mínimos tributáveis do ano.

Quem tem um gasto alto com serviços médicos e relativos à educação (matrículas e mensalidades escolares), também podem reduzir a base do cálculo do imposto. Isso também se aplica à inclusão de dependentes na declaração, o que pode reduzir os tributos a serem pagos e gerar a restituição, no caso de recolhimento direto na fonte.

Lotes IRPF 2019

CONSULTA IRPF 2019

A Receita Federal faz o pagamento da Restituição do Imposto de Renda em lotes. Nesses lotes estão os valores que deverão ser devolvidos àqueles que fizeram um pagamento maior que o devido ao Imposto de Renda.

O calendário de restituições prevê as devoluções divididas em sete lotes de pagamento, que são distribuídos ao longo do ano, a começar pelo mês de junho.

A Receita Federal inicia as devoluções seguindo uma regra de prioridades. Terão acesso à Restituição IRPF primeiro os idosos com mais de 60 anos, juntamente com portadores de deficiências mentais e físicas, e aos portadores de moléstias graves. Unidos à eles, também terão preferência os contribuintes cuja maior fonte de renda seja o magistério.

Depois dessas prioridades, o pagamento da restituição é feita a partir da ordem de entrega das Declarações de Imposto de Renda, desde que corretos e sem informações divergentes. Os valores pagos são corrigidos pela taxa Selic. Para saber se a sua Restituição já está disponível, é importante fazer a Consulta do IRPF.


Quem deve declarar o IRPF 2019

Vamos explicar quais são as condições impostas pela Receita Federal e que justificam o pagamento do IRPF 2019. Se você se encontra em alguma dessas condições, indicamos que procure um contador para sanar maiores dúvidas.

Quem recebeu rendimentos tributáveis superiores a R$ 28.559,70: se ao longo do ano de referência (sempre o anterior ao que foi feita a declaração), o contribuinte tiver tido uma renda anual maior que R$ 28.559,70, ele precisará fazer a declaração de imposto de renda.

Quem recebeu rendimentos não tributáveis ou tributáveis exclusivamente na fonte superiores a R$ 40.000,00: são considerados rendimentos não tributáveis dividendos, alguns tipos de indenização, herança e doações recebidas. Os rendimentos tributáveis exclusivamente na fonte são os recebidos em concursos e sorteios, ganhos na loteria, além de juros sobre capital próprio.

Bens de valor superior a R$ 300 mil: considera-se imóveis, carros, antiguidades, obras de arte e joias.

Quem teve ganho de capital: se tiver tido algum ganho na venda de bens ou direitos, terá que fazer a declaração.

Quem optou pela venda de imóveis com isenção do Imposto de Renda: apesar de ter tido a isenção no ato da venda, ela precisará declarar a transação envolvendo o imóvel.

Sobre a atividade rural: se a receita bruta obtida tiver sido superior a R$ 142.798,50, precisa declarar os valores recebidos.

Quem não deve declarar IRPF 2019

Para os que não precisam fazer o declaração de Imposto de Renda, não é preciso fazer todo processo da Receita Federal. Consideram-se isentos:

01. Não precisam fazer a declaração do imposto de renda trabalhadores que possuem renda mensal inferior a R$ 1.903,98;

02. Estarão isentos do pagamento de imposto de renda os trabalhadores diagnosticados com uma das doenças dispostas na lei nº 7.713/88:

  • Hepatopatia Grave;
  • Espondiloartrose Anquilosante;
  • Hanseníase;
  • Neoplasia Maligna;
  • Alienação Mental;
  • Doença de Paget em estados avançados (Osteíte Deformante);
  • Doença de Parkinson;
  • Esclerose Múltipla;
  • Paralisia Irreversível e Incapacitante;
  • AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida);
  • Cegueira;
  • Cardiopatia Grave;
  • Fibrose Cística (Mucoviscidose);
  • Nefropatia Grave;
  • Tuberculose Ativa;
  • Contaminação por Radiação.

Para validar a isenção a partir da moléstia grave, é necessário que um médico credenciado faça um laudo pericial, onde haja a comprovação da doença.

É indicado que a empresa contratante do contribuinte faça o pedido de declaração pericial ao médico pois, assim, o Imposto de Renda deixa de ser retido direto na fonte.


Não existe nenhuma dificuldade em declarar ou consultar imposto de renda caso você tenha imposto à restituis e quando essa restituição deverá acontecer.

Se ficou alguma dúvida relacionada a consulta IRPF 2019, é só deixar um comentário logo abaixo que responderemos assim que for possível. Boa sorte!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *